Estratégia e Vantagens Competitivas

 

O Pátria Infraestrutura Energia Core FIP-IE tem como objetivo investir em ativos do setor de energia, mais especificamente dos subsetores de geração e transmissão de energia, com capacidade de geração de caixa operacional recorrente. O Pátria destaca abaixo as principais características estruturais buscadas na composição/gestão dos Ativos Alvo:

 

RENDA
Foco em distribuição de dividendos. Ativos contratados no longo-prazo proporcionam estabilidade de renda
BAIXO RISCO OPERACIONAL
Ativos com baixo risco operacional considerando gestão ativa do Pátria Infraestrutura
DIVERSIFICAÇÃO DE RISCO
O Pátria buscará construir portfólio diversificado reduzindo perfil de risco do produto.
BENEFÍCIO FISCAL
Ganhos dos investimentos em infraestrutura via FIP-IE com alíquota de IRRF 0% (para pessoas naturais)
LIQUIDEZ
Eventual listagem do FIP-IE na B3 trará liquidez à estratégia de investimento
GESTÃO OPERACIONAL ATIVA DO PÁTRIA
Time de 70+ profissionais buscando geração de valor em todas as dimensões do projeto
FLEXIBILIDADE DE INVESTIMENTOS
Flexibilidade de investimentos em instrumentos de Dívida e Equity

 

EXPERIÊNCIA DO PÁTRIA EM GESTÃO DE ATIVOS NO SETOR

 

O Pátria investe no setor de energia desde 2006, na criação do Pátria Energia – Fundo de Investimento em Participações, com a Energia Renováveis S.A. – ERSA, que se tornou a CPFL Energias Renováveis S.A. Cerca de R$ 3,6 bilhões de capital já foram comprometidos no setor, com investimentos em renováveis, transmissão e geração térmica, até setembro de 2020 e aproximadamente R$ 1,3 bilhões já investidos.

O Pátria acredita que a experiência do seu time no setor é um diferencial competitivo em relação a outros concorrentes, e permite a busca pela geração de valor adicional aos Ativos Alvo através da gestão ativa. Para implementar sua estratégia de gestão ativa, o Pátria Infraestrutura acredita que é importante ter governança relevante em suas companhias investidas, tornando possível a implementação de medidas que alavanquem a geração de valor do portfólio e defina padrões de governança, ESG, Compliance e gestão de riscos alinhados com seus valores.

 

O Pátria Infraestrutura possui uma abordagem de gestão ativa de suas companhias do portfólio, o que busca (i) indicação do time de executivos (CEO, CFO, COO, entre outros cargos de liderança) que muitas vezes são profissionais do Pátria Infraestrutura transferidos para as companhias, (ii) participação ativa nas companhias, (iii) acompanhamento periódico de diferentes comitês do Conselho de Administração nas companhias que controla (Riscos Operacionais e Finanças, Técnico e ESG, Compliance, e Recursos Humanos), com participação dos executivos, membros do conselho e profissionais especializados do Pátria. O Pátria Infraestrutura mantém um time de suporte de gestão dedicado a cada um dos temas mencionados anteriormente.

 

  1. 2006

    Fundo I (Desinvestida)

     

    Empresa criada pelo Pátria, com a construção de 250MW em geração renovável. Foi fundida com os ativos renováveis da CPFL em 2011 e vendida para a StateGrid em 2018

  2. 2012

    Fundo II (Investida)

     

    Sociedade do Pátria com alguns dos investidores e sócios da ERSA. Construção de portfólio de 300MW+ em parques eólicos e PCHs no Chile e no Peru.

  3. 2014


    Fundo III (Investida)

     

    Empresa adquirida pelo Pátria de aluguel de geradores. Hoje consolida cerca de 860 geradores.

  4. 2016

    Fundo III (Desinvestida)

     

    Empresa criada pelo Pátria. Projetos greenfield de mais de 1.500km de linhas de transmissão e 10 subestações. Desinvestimento realizado em 2020.

  5. 2018

    Fundo III (Investida)

     

    Empresa criada e controlada pelo fundo gerido pelo Pátria, em fase de construção de usina termoelétrica de 565MW, com capacidade de expansão para 1,5GW. Sociedade com Shell e Mitsubishi.

  6. 2019

    Fundo IV (Investida)

     

    Empresa criada pelo Pátria, em fase de construção, com parques eólico e solar, contratados, de ~900MW e pipeline de novos projetos.